Aceitar o sofrimento

No meu caso pessoal, a prática mais forte e mais eficaz para ajudar a tolerar o sofrimento consiste em ver e entender que o sofrimento é a natureza essencial da vida. Ora, quando passamos por alguma dor física ou qualquer outro problema, naturalmente naquele instante há uma sensação de queixa, porque o sofrimento é muito forte. Há um sentimento de rejeição associado ao sofrimento, como se não devêssemos estar passando por aquilo. Naquele instante, porém, se pudermos encarar a situação de outro ângulo e perceber que este corpo é a própria base do sofrimento isso reduz aquele sentimento de rejeição… aquele sentimento de que de algum modo não merecemos sofrer, de que somo vítimas. Portanto, uma vez que compreendamos e aceitamos essa realidade, passaremos a vivenciar o sofrimento como algo que é perfeitamente natural.
Dalai Lama

3234174930_b8f86ea11d_b
Michele Catania

A ideia que temos nos nossos dias é de que o sofrimento é algo fora do lugar, errado, que deve ser evitado a todo custo. Vemos nas propagandas, nos filmes, como todos parecem ser felizes ou têm promessas de viverem felizes para sempre. E  acreditamos facilmente que uma vida sem sofrimento é possível.

O que percebo nos meus atendimentos é que, por causa disso, é comum ter vergonha do próprio sofrimento, como se fosse algo proibido. As pessoas acham que elas não deveriam estar sentindo aquilo. Nessas situações, costumo mostrar pra a pessoa que tudo bem ela sofrer, que ela tem direito de se sentir mal frente a uma situação difícil e que não há nada de errado nisso. Geralmente, só isso já faz com que a pessoa se sinta melhor.

Isso está relacionado ao conceito de aceitação. Como é apresentado no trecho acima, a ideia é que o sofrimento é natural e faz parte da vida. Se acreditamos que podemos erradicar o sofrimento, tentando controlar tudo, não teremos paz: ao contrário, seremos extremamente ansiosos e infelizes, pois nossas tentativas inevitavelmente falharão. Por outro lado, uma vez que conseguimos encarar o sofrimento como natural e decidimos abraçá-lo, há uma espécie de libertação que nos permite viver melhor.

Pare para pensar um pouco: não parece ser um alívio a possibilidade de parar de fugir de tudo que nos assusta? Por mais paradoxal que pareça, aceitar o sofrimento nos faz sofrer menos.

3 Comentários

  1. Há poucos anos, num período difícil de minha vida, fui ao médico para um controle de uma anemia, durante a consulta contei um pouco de como me sentia. Ele disse que eu estava com depressão e que iria me prescrever um Antidepressivo, olhei para ele e disse: – Doutor, eu estou “apenas” triste!

Deixe uma resposta